ao.toflyintheworld.com
Novas receitas

O 'rei do cachorro-quente de Chicago' enfrenta o Havaí

O 'rei do cachorro-quente de Chicago' enfrenta o Havaí


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Ira Helfer distribui milhares de cachorros-quentes gratuitos anualmente no Sony Open

Wikimedia Commons / Evan Swigart

Cachorro-quente

Para quem participa do Sony Open, evento de golfe que todos os anos chega ao Waialae Country Club, em Honolulu, uma visita ao Ira Helfer é um dos destaques da experiência.

Não, ele não está fazendo massagem profunda, assando porcos kalua ou qualquer outra coisa comumente associada ao Havaí - ele está distribuindo cachorros-quentes, assim como faz há anos.

O nativo de Chicago, que se mudou para o Havaí com sua família em 1985 e tem distribuído cachorros-quentes durante o evento desde então, foi recentemente descrito por The Golf Channel. Seu quintal confina com o primeiro tee do country club, e ano após ano as pessoas aparecem para um cachorro-quente grátis (bife de Viena, embrulhado em papel alumínio e servido com mostarda, picles e outros condimentos, exceto ketchup), passear, ouvir ele conta histórias e geralmente gosta da companhia um do outro. Ele passou por mais de 1.000 na semana passada, mas não planeja começar a cobrar tão cedo.

E embora milhares de pessoas tenham comido seus cachorros-quentes ao longo dos anos, incluindo jogadores de golfe profissionais e governadores, a única história que ele nunca se cansa de contar é o tempo em que serviu a ninguém menos que o ex-presidente Bill Clinton ("Ele tinha dois", relembra Helfer )

E embora possa parecer estranho entrar no quintal de alguém e pegar um cachorro-quente, Helfer dá as boas-vindas, tanto amigos quanto estranhos.

Só não peça ketchup.


O Rei do Cachorro-Quente de Chicago realiza corte no Havaí

HONOLULU & ndash O homem passa a mão pelos cabelos ralos e prateados, olha com conhecimento de causa para alguns amigos e diz metodicamente: & ldquoSto lá & rsquos este advogado que & rsquos sai para jantar com sua esposa quando esta loira voluptuosa entra & hellip & rdquo

Nesse momento, um estranho caminha até seu quintal verde fechado a apenas 150 metros do primeiro tee do Waialae Country Club & rsquos e à direita de seu campo de golfe, e interrompe a piada.

O homem para por um momento e grita sem reservas: & ldquoVamos! Coma um cachorro-quente!

Ele então se recosta na cadeira e se dirige ao semicírculo de amigos que aguardam ansiosamente uma piada que eles ouviram há anos. Quando chega, eles riem. Não risadas educadas, mas gargalhadas altas e contundentes, como se o homem tivesse acabado de dizer a eles a coisa mais engraçada de todas. E talvez, apenas talvez, ele tenha.

O nome dele é Ira Helfer, mas as pessoas por aqui o conhecem como o Rei do Cachorro-Quente de Chicago.

Isso é o que eles fazem durante o Sony Open. Eles entram, pegam um cachorro-quente, ouvem algumas piadas, andam com o Rei do Cachorro-Quente. Eles vêm todos os anos desde 1985, quando Helfer se mudou para cá com sua família e decidiu abrir seu quintal para amigos e amigos em potencial.

Ele é originalmente de Chicago, desculpe, & ldquowest lado de Chicago & rdquo, ele lembra as pessoas & ndash onde cachorros-quentes são menos uma refeição do que um modo de vida. He & rsquoll passou por cerca de 1.000 deles esta semana, cada um embalado individualmente em papel alumínio, servido com mostarda e picles, pimentas e outros complementos à sua escolha.

Mesmo com a menção, os olhos de Helfer & rsquos ficam frios e sua testa franze. Ele pode tolerar os tolos, mas não os tolos que pedem ketchup em seus cachorros-quentes.

& ldquoSe o fizerem & rdquo diz o amigo de longa data Paul Shinkawa & ldquothey don & rsquot get um cachorro-quente. Ele & rsquos gostam do Soup Nazi. & Rdquo

Todos os outros são bem-vindos, no entanto. Existem aqueles que ouviram todas as piadas e aqueles que estão ouvindo pela primeira vez. Há aqueles que ele cumprimenta com um alô amigável e aqueles que recebem elogios em seu japonês nativo, sua fluência é o resultado de passar anos no negócio de importação e exportação na Ásia.

Os cachorros-quentes são bife de Viena. Eles são reais e espetaculares. Grelhado por fora, suculento por dentro. E eles também saíram de graça, já que o Rei do Cachorro-Quente se recusa a aceitar um níquel de ninguém.

Até jogadores são conhecidos por entrar em seu quintal. Mark O & rsquoMeara costumava comer cachorros-quentes Helfer & rsquos. O mesmo aconteceu com & ldquosome no-name & rdquo, com quem ganhou o torneio & rsquos pro-am anos atrás.

Mas esses não são os hóspedes mais estimados. Alguns anos atrás, Helfer estava jogando Waialae quando recebeu uma notícia interessante.

& ldquoQuando fiz o check-in, o titular disse que Bill Clinton e o governador estariam aqui & rdquo ele conta pelo que deve ser pelo menos a milésima vez. & ldquoEles tinham saído pela parte de trás. Acenei para eles que conhecia o governador. Ele puxa o carrinho, sai e me apresenta ao presidente. O que diabos você diz a um presidente? & lsquoBoa tarde, senhor. Jogando com nove? & Rsquo Ele disse, & lsquoNo, jogando com 18. & rsquo

& ldquoAgora, o que você diria? & lsquoBem, se esse for o caso, por que você não pára na minha casa na curva e pega um cachorro-quente? & rsquo O governador se vira para ele e diz: & lsquoEste cara & rsquos tem os melhores cachorros-quentes a oeste do Mississippi. & rsquo O presidente diz: & lsquoThen nós & rsquoll paramos por aí. & rsquo

& ldquoSo voltei e pedi à minha esposa que comprasse cachorros-quentes para 20-30 pessoas. Ela disse: & lsquoQuem você convidou? & Rsquo Eu disse, & lsquoO presidente. & Rsquo Ela vai, & lsquoO presidente de quê? & Rsquo Eu disse, & lsquoO presidente dos Estados Unidos. & Rsquo Ela olhou para mim e disse: & lsquoYeah, certo. & Rsquo apareceu. & rdquo

E o presidente tinha cachorro-quente?

& ldquoNão & rdquo, diz ele com uma pausa. & ldquoEle tinha dois. & rdquo

As gargalhadas continuam no semicírculo, homens grandes engolindo bife e pão com sorrisos contagiantes espalhados por seus rostos.

Mas quase não houve risos este ano. Sem sorrisos, sem cachorro-quente e & ndash mais angustiante & ndash sem rei do cachorro-quente.

Ele ficou no hospital até quinta-feira de manhã, apenas saindo um pouco antes da rodada de abertura.

"Não sei por que fiquei doente", diz Helfer, 68, enquanto tira um curativo e uma gaze de sua mão direita. “Meus filhos estiveram aqui e segunda-feira à noite, depois do jantar, eu não conseguia ficar de pé. Meu filho mais novo pesa cerca de 350 libras e não conseguiu nem mesmo me ajudar a levantar. Eu nunca fui assim, então chamamos uma ambulância e fomos para o hospital. Mas eles não sabiam o que diabos estava errado.

Então ele teve alta do hospital?

& ldquoNão & rdquo ele responde. & ldquoO médico virá aqui mais tarde. Ele disse: & lsquoYou & rsquove tem que estar lá. & Rsquo & rdquo

Isso é o que o Sony Open significa para o Hot Dog King de Chicago e o que o Hot Dog King of Chicago significa para o Sony Open.

Centenas de amigos inundarão seu quintal esta semana, cada um comendo um cachorro-quente, a maioria deles voltando por segundos ou terços ou mais. A única coisa que falta na festa é ketchup, do jeito que Helfer gosta.

Mesmo que você não seja um amigo & ndash ainda não, pelo menos & ndash sinta-se à vontade para caminhar até o portão verde, onde o Rei do Cachorro-Quente o deixará entrar com um grito.

Quando o fizer, pergunte a ele sobre o advogado, sua esposa e a loira voluptuosa. Em seguida, sente-se, dê uma mordida em seu cachorro-quente e se prepare para rir.


Resumo da receita

  • 1 cachorro-quente totalmente bovino
  • 1 pão de cachorro-quente de semente de papoula
  • 1 colher de sopa de mostarda amarela
  • 1 colher de sopa de picles verde doce
  • 1 colher de sopa de cebola picada
  • 4 fatias de tomate
  • 1 lança de picles de endro
  • 2 pimentas esportivas
  • 1 pitada de sal de aipo

Leve uma panela com água para ferver. Reduza o fogo, coloque o cachorro-quente na água e cozinhe por 5 minutos ou até que esteja pronto. Retire o cachorro-quente e reserve. Com cuidado, coloque uma cesta para cozimento a vapor na panela e cozinhe no vapor o pão quente de cachorro-quente por 2 minutos ou até aquecer.

Coloque o cachorro-quente no pão cozido no vapor. Empilhe as coberturas nesta ordem: mostarda amarela, picles verdes doces, cebola, fatias de tomate, picles, pimentão e sal de aipo. Os tomates devem ser aninhados entre o cachorro-quente e a parte de cima do pão. Coloque o picles entre o cachorro-quente e o fundo do pão. Nem pense em ketchup!


50 estados de cachorros-quentes

Dos famosos Red Hots com cobertura vegetal em um pão de papoula aos chamados cachorros de água sujos nas esquinas de Nova York, os francos são um rito de passagem da culinária americana. Aqui estão os 50 cachorros-quentes dos Estados Unidos.

Relacionado a:

Foto por: Vincent Sorrentino

Foto por: Michael Christodoulakis

Birmingham Hot Dog, Gus's Hot Dogs (Alabama)

Uma das barracas de cachorro-quente mais antigas em uma cidade que já foi lar de incontáveis ​​fornecedores francos, Gus & rsquos é o lugar para experimentar o cachorro-quente de Birmingham desenvolvido pelos primeiros imigrantes gregos da cidade. Tanto os cães regulares quanto os "especiais" apresentam uma salsicha meio porco-meio bovina carbonizada na grelha de 70 anos e servida em um pão padrão cozido no vapor com mostarda amarela, cebola branca picada, chucrute e molho especial com aroma de especiarias que & rsquos como uma versão mais doce e saborosa das cebolas estilo carrocinha de Nova York. O especial, com a adição de carne moída, é o famoso cachorro-quente da cidade que afirma ter fama, na opinião do proprietário Lee Pantazis. “Um pequeno pedaço da história enfiado em um pãozinho coberto de molho”, diz ele.

Cachorro de rena, International House of Hot Dogs (Alasca)

Muito antes de a tendência da salsicha de caça selvagem dominar os cardápios de gastropub nos Estados Unidos, os residentes de Anchorage se alimentavam de cachorros exibindo um ingrediente local onipresente, de outra forma raro: a rena. Reindeer tem sido uma especialidade de carrinhos de rua no verão na Última Fronteira por mais de duas décadas. Mas a International House of Hot Dogs serve seu McKinley Dog ao longo do ano - incluindo a temporada de puxar trenós. Ele começa com uma salsicha de rena no estilo polonês, farta e muito apimentada, com uma combinação simples de cebolas salteadas e um molho de chipotle caseiro doce e fumegante.

Cachorro-quente de Sonora, Aqui con el Nene (Arizona)

Vendidos por centenas de restaurantes e cachorros-quentes empurrando carrinhos de rua em Tucson e Phoenix, os cachorros-quentes de Sonora são tão comuns no Arizona que podem muito bem ser chamados de salsichas do Grand Canyon. Salsichas de carne são embrulhadas em bacon e grelhadas até que se fundam como uma bengala carnívora. Essas salsichas saborosas são embaladas em uma baguete mexicana fofa e, em seguida, cobertas com uma coleção inteira de coberturas como feijão, cebola, tomate, maionese, mostarda e molho picante. No Aqui con el Nene, em Tucson, esses cachorros excepcionais são servidos no estilo chilipon com um pão torrado e queijo derretido com todos os ingredientes antigos e um molho de galinha-jalapeño de classe mundial.

Chili Dog, Spradlin's Dairy Delight (Arkansas)

Um desses pratos de origem desconhecida, a Frito Chili Pie & mdash corn chips cobertos com chili ousado, queijo e cebola crocante & mdash é reivindicada por muitos lugares em todo o sul e sudoeste. Este laticínio de 1957 na Inglaterra, Arkansas, é um deles. O proprietário Claude Spradlin afirma que o prato infame está no menu há mais de meio século. E embora ele ainda sirva muitos fritos com cobertura de pimenta, ele vende muito mais cachorros-quentes cobertos com o mesmo molho. Os cachorros de pimenta Spradlin seguem o ethos de Arkansas, seu cachorro comprido coberto com mostarda, pimenta e salada de repolho com adições opcionais de queijo americano, jalapenos em conserva e cebola crua. E, claro, Fritos estão disponíveis ao lado.

Dodger Dog, Dodger Stadium (Califórnia)

Cachorro-quente é um rito de passagem do beisebol, e poucos cachorros são tão associados a um clube de beisebol quanto o Dodgers 'Dodger Dog. Um favorito dos fãs desde 1962, o Dodger Dog de 10 polegadas está disponível cozido no vapor ou grelhado em quiosques por todo o estádio, e então dobrado em um pão cozido no vapor. Os quiosques próximos oferecem ketchup, mostarda, cebola e condimentos. Traga-o de volta ao seu lugar e festeje enquanto olha para o horizonte com a silhueta de uma palmeira. É tão californiano quanto uma experiência de cachorro-quente pode ser.

Elk-Jalapano-Cheddar Sausage, Biker Jim's (Colorado)

De um carrinho de cachorro-quente envenenado no 16th Street Mall de Denver a vários carrinhos, um local físico e um estande em Coors Field, Jim Pittenger, também conhecido como Biker Jim, se tornou o rei dos cachorros-quentes de fato das Montanhas Rochosas por seus recheios criativos e 15 salsichas gourmet diferentes. Muitos destacam a caça selvagem inspirada nas Montanhas Rochosas, variando de javalis e búfalos do sudoeste a cascavel e faisão. Nenhum representa o Estado do Centenário melhor do que a picante e saborosa linguiça elk-jalapeno-cheddar. Os hóspedes podem pedir com cobertura da maneira que quiserem, mas o equipamento adequado para este top dog é o cream cheese Biker Jim's e a cebola caramelizada cozida em refrigerante.

New England, Super Duper Weenie (Connecticut)

Cidades como Nova York e Chicago recebem muitos elogios de cachorro-quente, no entanto, Connecticut é saudada por aqueles que são conhecidos como um dos maiores santuários de salsichas dos Estados Unidos. Barracas exemplares de cachorro-quente podem ser encontradas em praticamente todas as cidades. Um dos melhores é Super Duper Weenie em Fairfield. O proprietário Gary Zemola é conhecido por fornecer ingredientes de primeira qualidade para todas as coberturas caseiras (como o condimento altamente classificado), pãezinhos caseiros e batatas fritas recém-cortadas. O pedido adequado é o New England, que começa com uma franquia Hummel Bros. comprada na delicatessen New Haven de gerência familiar. No clássico estilo da Nova Inglaterra, it & rsquos dividido ao meio e grelhado, em seguida, coberto com uma porção saudável de chucrute, bacon, cebola branca crua, mostarda e condimentos.

Griddle-Fried Franks, Deerhead Hot Dogs (Delaware)

Os salgadinhos fritos na grelha são um rito de passagem obrigatório de Delaware durante os meses de verão. Para os Delawareans conhecedores, esses cães vigorosos acumulam um afeto ardente diário semelhante à obsessão de Joe Biden por óculos de sol de aviador. Deerhead Hot Dogs tem cortado e crocante seus cachorros de acordo com a tradição local desde 1935. Essas metades lado a lado são embaladas em um pãozinho macio com mostarda obrigatória, cebolas e uma porção saudável de seu tomate secreto Molho à base de molho que é semelhante a um cruzamento levemente picante, doce e picante entre o chili padrão e o líquido que vem em uma lata de feijões cozidos Heinz.

Cartel Dog, Pincho Factory (Flórida)

Inspirando-se nos sabores locais encontrados em Miami e nas ruas da América Latina, o pessoal por trás do South Florida & rsquos fast-casual Pincho Factory criou o Cartel Dog. Ele rapidamente superou todas as outras salsichas e subiu ao pódio como cachorro-quente favorito de Miami. Um franco kosher grelhado é coberto com uma mistura totalmente não kosher, mas incrivelmente deliciosa de bacon picado, queijo cheddar, molho de manga, palitos de batata e molho Pincho rosa secreto, uma mistura de ketchup e maionese que é um condimento favorito em toda a América do Sul.

Cachorro mexido, Dinglewood Pharmacy (Georgia)

Por volta de 1946, um inventivo restaurador de Columbus, na Geórgia, decidiu criar um prato de cachorro-quente exclusivo com salsichas picadas cozidas e temperadas com pimenta, cebola e picles servidos com um punhado substancial de biscoitos de ostra por cima, destinados a serem consumidos com utensílios. Aquela lanchonete fechou, mas seu Scrambled Dog permaneceu, se tornando um esteio da área de Columbus. Faz parte do cardápio, fiel à sua forma original, há mais de 50 anos na centenária Dinglewood Pharmacy, onde é servido em um prato de condimento de porcelana e uma colher. Este clássico regional ainda é tão popular que responde por 85% das vendas de refrigerantes em farmácias independentes.

Puka Dog, Puka Dog (Havaí)

Essencialmente uma versão maior e mais interessante de porcos em cobertores, esta especialidade havaiana apresenta um cão proprietário aninhado dentro de pão doce havaiano recém-assado. Esse pão, chamado de puka para o buraco no centro, é onde a loja e o estilo de cachorro-quente correspondente recebem seu nome. Cada um desses lanches vulcânicos vem com opção de salsicha polonesa ou cachorro vegetariano, molho secreto de alho-limão (variando de calor moderado a lava) e escolha de condimentos de frutas havaianas com sabores tropicais, incluindo manga, abacaxi, coco e mamão . Aqueles que procuram condimentos tradicionais também podem adicionar ketchup, mostarda amarela ou Dijon, condimentos doces e a mostarda havaiana especial & mdash e viciante & mdash da Tia Lilikoi do estado.

Tater Dog, Dave's Tater Grill (Idaho)

Idaho é mais conhecido por suas batatas de mesmo nome, então faz sentido que o salmão representativo tenha algumas batatas incorporadas à mistura. Cue: o cachorro tater. No Dave & rsquos Tater Grill, um carrinho de comida estacionado na Boise & rsquos 6th Street entre Main e Grove, jantares tarde da noite fazem fila para hash browns grelhados com queijos cheddar e jack colocados em um pão torrado com um cachorro-quente Nathan & rsquos de 250 gramas ( ou qualquer outra salsicha que você queira) coroa.

Chicago Red Hot, Superdawg Drive-In (Illinois)

O casal de salsichas piscando no topo deste drive-in de 1948 tem sido um farol para os amantes de cachorro-quente de Windy City por mais de meio século. Este ícone multigeracional é saudado como um dos principais red hots de Chicago. Aqui, cachorros-quentes patenteados são servidos em pães de papoula no vapor e arrastados pelo jardim com mostarda amarela, condimento verde neon doce, cebola branca picada, uma lança de picles de endro kosher e pimenta esportiva quente como é tradição na Second City, mas isso O verdadeiro drive-in - completo com serviço de carhop - também oferece tomates verdes em conserva. Obtenha o seu com um lado de batatas fritas cortadas amassadas e um Supermalte antiquado para acompanhá-lo.

Cachorro-quente de Coney Island, a famosa Coney Island de Fort Wayne (Indiana)

A uma curta distância de carro das fronteiras de Michigan e Ohio, Fort Wayne & rsquos Famous Coney Island começa onde as celebradas tradições de Coney de Detroit e Cincinnati (mais ou menos) param. Pertencente e operado pela mesma família há mais de um século, este restaurante animado abriu seu caminho para o tecido culinário da cidade. Vende cerca de um milhão de cachorros-quentes por ano. Por que tanto barulho? Seus cães lendários são simplesmente muito bons. Cada franco é grelhado e colocado dentro de um pão cozido no vapor com mostarda, cebolas picadas à mão e molho Coney caseiro que é essencialmente grego à bolonhesa. O pedido obrigatório é "três e uma garrafa", três cachorros com todos os ingredientes e uma garrafa de Coca.

Good Dog, Los Banditos Hot Dog Speakeasy (Iowa)

O que começou como uma piada entre amigos e mdash sobre um bar clandestino de cachorro-quente no antigo bar do porão da Krunkwich Ramen House e mdash se tornou uma realidade. Este restaurante pop-up noturno serve uma grande variedade de cachorros-quentes da loja de ramen depois que ele e rsquos terminam de servir o macarrão. As salsichas de porco produzidas localmente pela Berkwood Farms servem de base para a maioria dos cachorros-quentes e acompanhamentos inspirados na Ásia, América Latina, França e Meio-Oeste. (A caçarola de tater tot deve ser um prato do estado de Iowa e rsquos.) A escolha mais popular é o Good Dog, inspirado por um bate-papo noturno sobre pizza de caranguejo rangoon. Ao contrário dos outros francos, este cão é todo de carne, servido ao lado de um cream cheese e pasta de caranguejo real, enrolado em uma embalagem de rolo de ovo, frito e colocado em um pão com molho de pimenta doce caseiro.

Quando Pat e Gina Neely foram à caça de alguns dos melhores restaurantes de Kansas City na Road Tasted with the Neelys, eles pararam no Fritz's Meat & amp Superior Sausage para provar seu premiado bacon defumado. Mas este pequeno açougue em Leawood, Kansas, é conhecido por muito mais do que sua deliciosa barriga de porco curada. Como um dos fumeiros mais antigos de Kansas City & acirc, fundado em 1927, todas as carnes e salsichas vendidas neste açougueiro são de primeira qualidade - incluindo seus cachorros-quentes. Durante o almoço, os locais fazem fila para cachorros caseiros de carne bovina simplesmente servidos com mostarda e chucrute ou enfeitados com bacon, frito e enfeitado como um BLT no HDBLT.

Cachorro-crocodilo, Dixie Chili (Kentucky)

O amor de Cincinnati e rsquos pelo pimentão transborda a fronteira com o norte de Kentucky. Provavelmente, há tantos lugares servindo aquele espaguete com cobertura de pimenta e cachorros Coney no topo do estado de Bluegrass quanto na cidade que inspirou seu nome. Fundado em 1929, o Dixie Chili é um dos melhores lugares do estado para provar o sabor de um Cincinnati Coney. No entanto, seu cachorro mais icônico não vem com o molho picante de carne. O jacaré, um franco de boi e porco, é coberto por uma pilha de queijo cheddar ralado, uma lança de endro crocante e uma mistura de maionese e mostarda dentro de um pão branco macio. Claro, os hóspedes podem adicionar pimenta e cebola doce picada, se realmente quiserem.

Lagostins Étouffée Dog, Dat Dog (Louisiana)

O que falta na história do cachorro-quente na Louisiana é compensado pela engenhosidade culinária. As pessoas que adoram diversão por trás de NOLA & rsquos Dat Dog vêm da herança comestível profundamente enraizada da cidade e rsquos, colocando tudo em vários pães de cachorro-quente. Sua seleção de salsichas vai de crocodilo e linguiça quente crioula a um pirralho com infusão de Guinness. O item mais representativo da Louisiana do Sul, no entanto, é o cão lagostim e eacutetouff & eacutee. Linguiça de lagosta, defumada com tempero crioulo suave, é regada com saborosos lagostins e eacutetouff e eacutee, creme de leite, cebola, tomate e mostarda crioula, aninhada dentro de um pão doce de massa azeda.

Maine Red Snapper, Dysart's (Maine)

Ganhando seu nome por sua tonalidade carmesim e estalo característico, Maine Red Snappers são um esteio em churrascos familiares e acampamentos em torno do estado de Pine Tree. Essas salsichas de carne bovina e de porco feitas localmente obtêm sua vibrante cor neon de uma boa dose de corante alimentar. Eles podem ser encontrados em supermercados e barracas de cachorro-quente em todos os cantos do estado, mas eles vêm emparelhados com outra assinatura do Maine no Dysart & rsquos Restaurant & amp Truck Stop. Essas salsichas brilhantes são combinadas com feijões amarelos do Maine cozidos, servidos 24 horas por dia, sete dias por semana na parada de estrada de Herman.

Cachorro-quente Jumbo Judaico, Attman's Delicatessen (Maryland)

Um marco no Corned Beef Row de Baltimore desde 1915, o Attman's, de propriedade de quarta geração, sobreviveu à maioria de seus concorrentes e gerações de recém-chegados. Não é apenas uma das delicatessens mais famosas de Charm City, é uma das lanchonetes judaicas mais lendárias de todo o país. O Jumbo Jewish Hot Dog se tornou um grampo em Maryland. Aqui está o porquê, um frank all-beef é enfiado sob um cobertor de mortadela frita crocante, envolto em sua escolha de mostarda, cebola, condimento e ketchup - além de chili para aqueles que realmente querem viver com ousadia - dificilmente se sustentam com um pão recém-assado.

Fenway Frank, Fenway Park (Massachusetts)

Coney Dog, American Coney Island (Michigan)

Motor City pode ser a capital mundial dos automóveis e o local de nascimento da Motown, mas os amantes da comida há muito a associam ao Coney Dog. Com camadas de chili, forradas com mostarda e salpicadas com cebolas, essas salsichas se espalharam pelo meio-oeste, tornando-se comuns em lugares tão distantes como Kentucky e Oklahoma. Você tem que experimentá-los nos originais lado a lado Lafayette e American Coney Island para entrar no antigo debate de Detroit sobre qual é o melhor. Essa questão multigeracional provavelmente gerou mais de uma rixa do tipo Montague-Capuleto.

Corn Dog, The Depot Tavern (Minnesota)

Os habitantes de Minnesota levam a sério sua feira estatal. É uma das exposições mais concorridas dos Estados Unidos. E os participantes começam a planejar o que vão comer meses antes do evento acontecer. Obviamente, o pedido necessário é algo frito no palito. Porém, as opções estão ficando cada vez mais loucas (pense: bolinhos gigantes com recheio de carne enlatada), o cachorro-quente de Minnesota ainda é um favorito de longa data. Os moradores de Minneapolis podem se deliciar com um dos melhores riffs da franquia com farinha de milho ao longo do ano no Depot Tavern. Seu Diamond Corn Dog apresenta um salsicha de carne bovina de um quarto de libra envolto em bacon com pimenta, mergulhado em massa de fubá, frito até dourar, servido com um molho picante de mostarda de bordo ao lado.

Cão, Dis e Dem do Mississippi com Cobertura Crioula (Mississippi)

Trazendo um gostinho da tendência de salsicha gourmet de New Orleans & rsquo nouveau para Hattiesburg, Mississippi, Dis e Dem oferece uma seleção de salsichas de inspiração nacional, incluindo o bacalhau frito empanado com cerveja Pacific Dog, um clássico Chicago Dog e o jacaré grelhado Swamp Dog. Cada um é inspirado, mas o simples cão do Mississippi é o caminho a percorrer. O Kielbasa polonês grelhado, feito de carne com aroma de alho e páprica, é coberto com opção de chucrute cozido ou fresco, cebola, tomate e mostarda. É simples, saboroso, crocante, mas suculento, mas se você realmente sentir a necessidade de incrementar, opte pela mostarda crioula por cima.

KC Dog, Up Dog (Missouri)

Hootdog, Lewiston Farmers 'Market (Montana)

Rita Hofer admite que foi uma ideia maluca. A mulher huterita King Colony essencialmente criou Montana & rsquos state hot dog & mdash it & rsquos frankfurter Roots não são tão profundos quanto lugares no meio-oeste e leste & mdash quando ela espetou um cachorro-quente, embrulhou-o em massa de pão frito e mergulhou-o em um tonel de óleo fervente. Hofer serve com ketchup e mostarda no Lewistown Farmers & rsquo Market aos sábados de junho a outubro. Basicamente, um cachorro-quente sem milho, Hofer chamou essa invenção do Grande País do Céu com base na gíria que alguns habitantes de Montana usam para descrever os membros de sua colônia religiosa de descendência anabatista, Hoots, daí o título punny Hootdog.

Nebraska: B&B Classic Dogs (Nebraska)

Os detalhes são nebulosos, mas a história mais confiável sobre o local de nascimento do Reuben afirma que o sanduíche de carne enlatada, queijo Emmental derretido e chucrute com molho russo em centeio marmorizado grelhado foi criado no Omaha & rsquos Blackstone Hotel. Portanto, faz sentido que os nebraskenses amem seus Reubens em qualquer forma, incluindo cachorros-quentes. No Bellevue & rsquos B & ampB Classic Dogs, um dos francos mais populares é o Rueben inspirado no Cornhusker [sua grafia], uma franquia de carne de Nathan & rsquos de 250 gramas coberto com molho de mil ilhas, kraut, suíço derretido e, para imitar o pão original, cominho sementes todas aninhadas dentro de um pão torrado. Os hóspedes podem optar por obter tudo, pão incluído, embrulhado em uma tortilha e mergulhado na fritadeira.

Cachorro nu, cachorro-quente de Cheffini (Nevada)

Em algum momento de sua história espalhafatosa, Las Vegas adotou um estilo próprio de cachorro-quente, o cachorro pelado. Seriamente. Exatamente como parece, o cachorro é um cachorro-quente de carne grelhado no carvão servido simplesmente em um pão simples. É a metáfora mais perfeita ou a mais imprecisa para a cidade do pecado, dependendo de como se olha para ela. Os cachorros modestos ainda podem ser encontrados por toda a cidade, mas um dos melhores lugares para comer um é Cheffini & rsquos Hot Dogs. Lá, os hóspedes podem provar o clássico cachorro pelado em toda a sua glória ou seguir a vibe ostentosa da cidade com uma variedade de coberturas diversificadas e vistosas que vão desde algas, abacate e manga em conserva até chouriço seco, barriga de porco e ovo de codorna frito.

New Hampshire: cães de Vin

É bastante claro que os habitantes da Nova Inglaterra adoram cachorros-quentes. De Connecticut & rsquos onipresente cachorro-quente a Fenway & rsquos famosos franks a Maine & rsquos red snappers e Rhode Island & rsquos estranhamente intitulado New York Systems Wieners, a ponta nordeste dos Estados Unidos tem muitos cachorros-quentes regionais. New Hampshire pode não ter seu próprio estilo, mas o estado ainda é o lar de um weenie que combina dois & mdash ou três & mdash dos melhores pratos conhecidos pelo homem. No Vin & rsquos Dogs em Woodsville, os fãs adoram o bacon mac and cheese dog, um Sabrett frank coberto com queijo mac n & rsquo com infusão de cheddar em cheddar Cabot Creamery e bacon defumado crocante unidos por um pão cozido no vapor.

Rippers, Rutt's Hut (Nova Jersey)

Os residentes de Garden State amam seus pequeninos tanto quanto os nova-iorquinos. O mais famoso de todos os cães Jersey é o Estripador, um porco frito e franco bovino que leva o nome dos rasgos e rachaduras na pele que resultam de sua imersão na fritadeira. Rutt & rsquos Hut em Clifton cozinha rippers dessa maneira desde 1928. Eles são servidos em um pão regular ou torrado com mostarda e um condimento especial que é tão lendário quanto os próprios cachorros-quentes.

Chile Dog, Dog House (Novo México)

Destaque em vários episódios de Breaking Bad, esta pequena cabana da Route 66 se tornou uma parada obrigatória para os fãs. Mas muito antes de alcançar a glória na tela pequena, Dog House já tinha seguidores fervorosos por seus cachorros-quentes apimentados. Uma pequena quantidade de carne serve de base para o saboroso molho carmesim, que é cozido por horas a ponto de a carne ficar quase invisível. Hatch red chile e uma mistura secreta de especiarias são adicionadas no final. It & rsquos servidos em cima de footlongs de carne bovina e de porco sem pele grelhados e divididos (ou quinze centímetros) com mostarda marrom e opções adicionais de molho de queijo e cebolas.

White Hot, Schaller's Drive-In (Nova York)

Cachorros de água sujos, cachorros de mamão, cachorros gourmet com cobertura de maionese e trufas: a Big Apple há muito sugou todo o ar do balão de salsicha do estado de Nova York. Mas o amor pelos francos se espalhou muito além das fronteiras dos cinco distritos. É por isso que é hora de exaltar os méritos do hot hot, uma iguaria da região central e ocidental de Nova York mais frequentemente produzida pela Zweigle's feita a partir de uma combinação de carne de porco, vaca e vitela não fumada e não curada, em um invólucro natural. Experimente um no Schaller's Drive-In em Rochester. Aberta desde 1956, a parada retrô à beira do lago parece ter mudado pouco nas décadas seguintes. Sua clássica preparação branca quente é coberta com o "molho picante" à base de carne, mostarda e cebolas.

Slaw Dog, R.O's Bar-B-Cue (Carolina do Norte)

Enquanto a mostarda é uma obrigação em cachorros-quentes em Nova York, os tomates são uma opção em Chicago e o chili de Cincinnati supera os cachorros em Ohio, no Sul, tudo gira em torno da salada de repolho. Em todo o Sudeste, cachorros-quentes são sufocados com salada de repolho cremosa ou churrasco. Uma das versões mais famosas é vendida no Gastonia & rsquos R.O. & rsquos Bar-B-Cue. Pode parecer estranho que um churrasco seja mais conhecido por seu cachorro-quente & cachorro slaw mdash especificamente & mdash do que seu & rsquocue, mas combina o melhor do Sul em sua receita única. O repolho finamente processado é misturado com maionese, temperos quentes e doces e pimientos em uma pasta cremosa com tom laranja que é o sotaque perfeito & mdash, embora inesperado & mdash, para um cachorro-quente em um pão branco.

Wurst de coelho-cascavel fumado, Wurst Bier Hall (Dakota do Norte)

Trazendo a tradição do bier hall alemão para o estado de Roughrider, este ponto de encontro centrado na cerveja em Fargo foi aclamado como o melhor bar de cerveja do estado. Seu sortimento de espuma sempre giratório é o par perfeito para a extensa lista de salsichas, que abrange desde os clássicos pirralhos e kielbasa polonesa até lingui & ccedila portuguesa gourmet e linguiça defumada com maçã e frango americano. A melhor representação da Dakota do Norte é o coelho defumado com cascavel e salsicha jalapeño. Combinando o calor do sudoeste com a inspiração das planícies do norte, este showboat exótico é servido em pão francês recém-assado com opção de cebola grelhada, kraut e pimentão ou pimentão.

Rapaz polonês, brincadeira (Ohio)

Ohio tem fortes tradições culinárias centradas no cachorro, incluindo cachorros-quentes de pimentão de Cincinnati. Na década de 1940, o menino polonês surgiu no cenário de fast food de Cleveland. É uma pilha de salada de repolho, molho barbecue, molho picante e uma pilha de batatas fritas carregadas em cima de um kielbasa esfumaçado ao estilo polonês em um pão de cachorro-quente resistente. Ele pode ser encontrado em toda a Capital Mundial do Rock and Roll, mas um dos melhores exemplos é vendido em Banter, uma loja de linguiça e poutine nova-escola no lado oeste próximo.

Regular Coney, Coney I-Lander (Oklahoma)

Tulsa, Oklahoma, has a long-standing Coney tradition dating back to 1926, when Greek immigrant Christ Economou opened his first hot dog stand, Coney I-Lander. Following in the vein of the spiced meat chili-, mustard- and onion-topped franks found throughout the Midwest, that original stand sticks to the classics. It&rsquos since expanded to seven locations and has spawned countless impersonators, serving slow-grilled franks with all the standards and, for those who please, yellow grated cheese inside a steamed bun.

Corn Dog, The Original Pronto Pup (Oregon)

Though deeply beloved, corn dogs don't have a clear, verified origin story. Some claim that Oregonians George and Vera Boyington invented the corn-battered hot dog sometime during World War II. Whether they did or did not, the Beaver State still has some of the best and most-varied selections of corn dogs in the United States at Rockway Beach's The Original Pronto Pup. Boasting a 30-foot fiberglass hot dog on its roof, the largest corn dog on the planet, this 1941 shack now serves nine different pup variations including vegetarian options like veggie dogs and pickle pups. Plus, it has a new claim to fame, the World's First Riding Mechanical Corndog. Talk about prestigious distinctions.

Texas Tommy, Tony Luke' s (Pennsylvania)

The Philly cheesesteak may be Philadelphia&rsquos best-known claim to Cheez Whiz fame, but that golden liquid isn&rsquot just reserved for thin-sliced steak in Eastern Pennsylvania and its surrounding South Jersey suburbs &mdash it&rsquos also one of the main ingredients of the ubiquitous Texas Tommy, a split-griddled hot dog loaded with bacon and a river of liquid cheese, found on nearly every greasy spoon and neighborhood grill menu in the City of Brotherly Love and beyond. Pick one up at Tony Luke&rsquos, where you&rsquoll get a six-inch all beef dog, split and cooked on a flat top nestled in a toasted roll with two pieces of bacon smothered in Cheez Whiz.

Hot Wiener, Olneyville N.Y. System (Rhode Island)

A Rhode Island staple since the 1940s, hot wieners or New York System wieners are the unofficial frank of the Ocean State. Sort of like a Coney-Chicago dog-sloppy Joe hybrid, this state specialty comes topped with meat sauce, mustard, chopped onion and a dash of celery salt atop a griddled weenie on a steamed side-cut roll. The most-iconic place to get one is Olneyville New York System. With two locations, the fourth-generation-owned shop sells crisp beef-pork-veal dogs topped with all the obligatory ingredients on a plush roll from a nearby Greek bakery. Follow the local tradition by chasing the weenies with coffee milk.

The RiverDog, Joseph P. Riley Jr. Park (South Carolina)

Hot dogs and baseball games go together like birds and bees, chili and cheese, wieners and cole slaw. That last one is nearly obligatory throughout the South, where one would be hard-pressed to find a frankfurter without sweetly dressed cabbage on top. In South Carolina, one of the best slaw dogs is served during Charleston RiverDog games at Joseph P. Riley Junior Park &mdash a.k.a. The Joe &mdash at the Dog House and Dog World concession stands. The team&rsquos eponymous frank, the RiverDog, features an all-beef weenie slathered with slaw, mustard-barbecue sauce and pickled okra. Understandably, more than 5,000 of these delicious puppies are consumed every season.

Hungry Dog, Hungry Dog (South Dakota)

With a name like Hungry Dog, this place practically guarantees it&rsquoll leave diners stuffed. A five-minute drive from the World&rsquos Only Corn Palace, a top tourist destination in South Dakota, Hungry Dog serves a wide variety of franks and weenie-filled sandwiches, like the Philly cheesesteak-frankfurter hybrid, the Philly Dog, or a wiener-and-fried-shrimp Surf n Turf. The most-filling of all is the namesake dog, a fried, bacon-wrapped weenie, beer-battered and fried again and placed on a bun with shaved Ribeye, locally made Dimock Dairy pepperoni cheese and a pile of fries.

Hot Southern Mess, I Dream of Weenie (Tennessee)

This East Nashville VW bus-turned-food truck aims to Southernize the hot dog. It features regional toppings, many of which are made from locally sourced ingredients, atop its weenies. The most-emblematic example of its style is the Hot Southern Mess (or HSM) featuring three Volunteer State staples: creamy coleslaw, house-made pimento cheese and locally made Tennessee hot chow chow, a sweet cabbage-based pickled relish that dates back to old-school country kitchens as a means to preserve the end of season bounty. It&rsquos all sandwiched together with its charcoal-grilled all-beef hot dog within a steamed, locally baked bun.

Rodeo Dog, The Good Dog Houston (Texas)

Expect all-American hot dogs with a Lonestar State twist at this Houston weenie shop. Toppings include fresh guacamole, refried black beans, brown sugar-baked ham, and beef and chorizo chili. One of the top-sellers is the Rodeo Dog, created by Chef-Co-owner Amalia Pferd during Houston&rsquos rodeo season. It features an all-beef dog smothered in creamy cheddar mac & cheese, barbecue sauce, bacon, scallion and parmesan breadcrumbs inside a buttery split-top bun. "It&rsquos everything that is comforting about the south and also a little tangy just like Texas," says Pferd.

Polish Dog, J. Dawg's (Utah)

In 2004, Jayson "J" Edwards pawned his Fender Telecaster guitar to raise enough funds to transform a tiny Provo shack into the site of Utah&rsquos impending hot dog revolution. The ethos is simple, according to Edwards, "That quality meat, a freshly baked bun and our family&rsquos special sauce might not change the world, but it might make you smile." For just $4, locals indulge in simple Polish or beef hot dogs slathered in the sauce that&rsquos been in the family since Edward&rsquos Grandma Marcela clipped a barbecue sauce recipes out of her local paper more than six decades ago. That a sweet and tangy tomato-based brew has garnered a cult-following with at least a few blogs attempted to recreate the formula.

Texas Dog, Handy's Lunch (Vermont)

Vermonters love their chili dogs, but they can&rsquot decide on a name. Depending on where you are in the Green Mountain State, your hot dog covered with chili, chopped raw onions and yellow mustard may be referred to as a Michigans, a Red Hot or a Coney Island. At third-generation-owned Handy&rsquos Lunch in Burlington, the iconic chili dog is called a Texas Dog. The year-round treat includes snappy dogs coated with all the compulsory toppings stuffed inside a classic top-loaded New England-style bun that&rsquos griddled until buttery-crisp on the outside with that signature pillowy interior.

Bánh Mì Dog, Haute Dogs and Fries (Virginia)

The simple hot dog gets a complete makeover at this Alexandria place. All-beef franks are made with natural casings from grass-fed cows reared with no antibiotics or hormones, placed within toasted split-top New England-style buns made fresh and delivered daily by Ottenberg&rsquos Bakery in nearby Washington, D.C. The most popular haute dog is the bánh mì dog, a rainbow of flavors and textures that strikingly impersonates the original sandwich with sliced jalapenos, matchsticks carrots and cucumber, fresh cilantro and hearty, twisty squeeze of sriracha mayo.

Seattle Dog, Monster Dogs (Washington)

Seattle&rsquos signature dog is kind of like a cheese dog but also somewhat like a bagel. The city is known for grilled franks, split in half and slathered with cream cheese stuffed inside a bun. Anything goes in the topping department, but grilled onions, jalapenos and grilled cabbage tend to be available at all Seattle dog haunts. Monster Dogs, a Capitol Hill cart, is hailed by many as the best in town with some of the longest lines to prove it. There, the franks are steamed before they&rsquore tossed on the grill, split in the middle and cradled inside a cream cheese-coated bun that&rsquos been toasted on the grill. A simple garnish of caramelized onions tops it off.

Homewrecker, Hillbilly Hotdogs (West Virginia)

Hillbilly Hotdogs may not have the biggest sign, weenie statue or a mechanical bull corn dog, but it has one thing no other hot dog stand does: an onsite wedding chapel. Sério. The restaurant &mdash two school buses backed up to a shed &mdash is a local obsession due to its gourmet dogs covered with things like kimchi and truffles. Its classic West Virginia Dog is like the state&rsquos captain of the frankfurter team, a deep-fried weenie paired with slaw, mustard, chili sauce and chopped onion in a split-top bun. While the latter is the most-popular order, the place is best known for its whopping 15-inch Homewrecker, a gut-busting take on the Mountain State favorite with added chile peppers, cheese and other belt-unbuckling toppings.

Bratwurst, Charcoal Inn (Wisconsin)

Found at every restaurant, bar, butcher shop and home barbecue, the bratwurst is the food most-associated with America&rsquos Dairyland &mdash other than cheese in pure or fried curd form. To get a true taste of the German-style sausage, head to the Bratwurst Capital of the World, Sheboygan, where places like Charcoal Inn dole out the "double with the works," two brats squeezed side-by-side on an oversized hard roll with mustard, onions, pickles and ketchup.

Buffalo Brat, Pitchfork Fondue (Wyoming)

Ever wonder how cowboys ate their hot dogs? Straight off the tines of a pitchfork, sizzling hot from bubbling cauldrons of oil heated by wood fire, if you ask the folks at Pitchfork Fondue. Offering prime views of the Wind River Mountains, this Pinedale spot is one of the most popular places to experience a western cookout in the Cowboy State. While most places grill their meats over an open flame, these guys prefer to deep fry their steak, chicken, potato chips and onion rings. And each all-inclusive meal begins with buffalo brats cooked the same way as well as regular old deep fried hot dogs for kids &mdash in actual age or mental maturity &mdash upon request.


Other Stuff You Should Know!

Shipping included, no checkout surprises.

Standard shipping is included in all package prices. Need it faster? Just upgrade during checkout.

We use dry ice to keep your food fresh.

Perishable items are packed in foam coolers with enough dry ice to keep 'em cold for 2 days of transit.

Your gift message is right on the box!

Your friend or loved one will love what's on the outside of the box as much as what's in it!

Ship to multiple people in one order!

Send granny some deep dish and dad some ribs all in the same order. It's easy, we promise.

This fancy box could be waiting on your door step!

Full of pizzas and dreams, all packed up safe.

Your Favorite Chicago Foods Shipped Nationwide

Join our 300,000+ subscribers who never miss out on promos, new products, and holiday specials.

We've been shipping Chicago's most iconic foods nationwide for over 20 years, and Lou Malnati's pizzas for over 30 years. Treat yourself or someone special!


Conteúdo

The hot dog arrived in Chicago through Frankfurt from Vienna. Pork sausages have been known in Frankfurt since the 13th century. Sometime in the 19th century a butcher in Vienna added beef to the sausage mixture. He called this a "wiener-frankfurter". Eventually reaching Chicago, Franks served in buns became popular at fairs and baseball games. Reportedly the pork-free and kosher-style all beef frank was originated by Fluky's in 1929. [20] During the Great Depression they were sold for a nickel out of carts along Maxwell Street. [21] Two Austrian Hungarian immigrants sold their Vienna Beef franks at the 1893 World's Columbian Exposition in Chicago. [21] [22] Vienna Beef became a major producer of hot dogs and by the early 2000s was one of the major suppliers for hot dog carts. [23]

The "dragged through the garden" style is heavily promoted by Vienna Beef and Red Hot Chicago, the two most prominent Chicago hot dog manufacturers, [24] but exceptions are common, with vendors adding cucumber slices or lettuce, [1] omitting poppyseeds or celery salt, or using plain relish or a skinless hot dog. [25] Several popular hot dog stands serve a simpler version known as the "Depression Dog": a steamed natural-casing dog with only mustard, onions, plain relish and sport peppers, wrapped up with hand-cut french fries, [1] while the historic Superdawg drive-ins notably substitute a pickled tomato for fresh. Many vendors offer a Chicago-style dog with cheese sauce, known as a cheese-dog. Boz Hot Dogs locations offer a unique nacho cheese sauce with pieces of jalapeño peppers.

Chicago-style hot dogs are cooked in hot water or steamed before adding the toppings. [1] [10] A less common style is cooked on a charcoal grill and referred to as a "char-dog". Char-dogs are easily identifiable because very often the ends of the dog are sliced in crisscross fashion before cooking, producing a distinctive cervelat-style "curled-x" shape as the dog cooks. [26] Some hot dog stands, such as the Wieners Circle, [27] only serve char-dogs. [28]

The typical beef hot dog weighs 1/8 of a pound or 2 ounces (57 g) and the most traditional type features a natural casing, providing a distinctive "snap" when bitten. [9] [29]

The buns are a high-gluten variety made to hold up to steam warming, typically the S. Rosen's Mary Ann brand from Alpha Baking Company. [4]

The Chicago area has more hot dog restaurants than McDonald's, Wendy's, and Burger King restaurants combined. [22] [20] A "hot dog stand" in Chicago may serve many other items, including the Maxwell Street Polish, gyros, pork chop and Italian beef sandwiches, corn dogs, tamales, pizza puffs and Italian ice. The restaurants often have unique names [30] or architectural features.


Hawaiian Hot Dogs

  • Autor: Deborah
  • Prep Time: 15 mins
  • Cook Time: 15 mins
  • Tempo Total: 30 minutos
  • Yield: 8 hot dogs 1 x
  • Categoria: Prato Principal

Descrição

Take a taste of the tropics with these Hawaiian Hot Dogs – grilled hot dogs topped with grilled fresh pineapple and onions for a Hawaiian flair.

Ingredientes

  • 1/2 of a fresh pineapple, peeled, cored and sliced
  • 1 cebola roxa
  • 1/4 cup prepared barbecue sauce
  • 8 hot dogs
  • 8 hot dog buns

Instruções

Heat a grill to medium. Place the pineapple and onion on the grill and brush with the barbecue sauce. Continue to baste with barbecue sauce until the pineapple and onion are both soft.

Meanwhile, grill the hot dogs until warmed through.

Remove pineapple and onion from the grill and dice. Mix together in a bowl with the extra barbecue sauce, if desired. Serve the hot dogs with the pineapple and onion relish.

Notas de receita:

Informações nutricionais fornecidas apenas como estimativa. Várias marcas e produtos podem alterar as contagens.

Nutrição

  • Porção: 1 hot dog
  • Calorias: 268
  • Açúcar: 11 g
  • Sódio: 416 mg
  • Gordura: 9 g
  • Gordura saturada: 3 g
  • Gordura insaturada: 0 g
  • Gordura trans: 1 g
  • Carboidratos: 36 g
  • Fibra: 3 g
  • Proteína: 6 g
  • Colesterol: 15 mg

Você fez esta receita?

Marque-me no Instagram @tasteandtell e hashtag #tasteandtell ou deixe-me um comentário e uma avaliação de amp abaixo.

SHOP THIS POST:

Don’t miss a thing! Follow me on Pinterest to see what I’m pinning!

Você pode gostar.

Receba receitas grátis em sua caixa de entrada

Inscreva-se para receber atualizações por e-mail para novas receitas entregues em sua caixa de entrada!

Conheça Deborah

Bem-vindo ao Prove e conte. Aqui você encontrará receitas fáceis, rápidas e adequadas para a família. Acredito que qualquer um pode cozinhar e que o jantar não precisa ser complicado. Venha se juntar a mim na minha cozinha! consulte Mais informação


15 classic L.A. hot dogs

Love or hate them, hot dogs are here to stay. But what exactly typifies a classic dog, here in Los Angeles or elsewhere? Should the franks be grilled or boiled? Should the skin have a snap or no snap? With the tortilla as one exception — because the taco is still king in this town — the dogs in this roundup are served on a classic bun with (mostly) traditional toppings. No trendy lobster rolls, sweet Hawaiian rolls or pretzel rolls here.

Art’s Chili Dog Stand — Art’s Famous Chili Dog is a bargain at $2.30 and includes mustard, chili and onions. A plain hot dog is $1.95. Additional toppings include kraut, jalapeno and coleslaw. Long-standing Art’s — open since 1939 — is at the corner of Florence and Normandie, and you can almost feel the history surround you with every bite. Art’s Chili Dog, $2.30, 1410 W. Florence Ave., Los Angeles. (323) 750-1313 (no website).

Belcampo Meat Co. — The Belcampo hot dog is made from 100% organic, grass-fed beef with a natural sheep casing. It’s less watery than most hot dogs, which makes it extra snappy. At $4 (not bad, considering) this extremely beefy dog may just be your new, favorite classic. Look for it on the specials board at Grand Central Market. Belcampo Hot Dog, $4, 317 S. Broadway, Los Angeles, (213) 625-0304, belcampomeatco.com.

Carney’s — The Carney Dog, with chili, tomato, onions and mustard, is all beef with a natural casing. A local packer with a smokehouse uses Carney’s recipe to make the franks fresh every week. Still hungry? Bulk up with an order of Train Wreck Fries, topped with American cheese, grilled onions and a special thousand island dressing. Carney Dog, $4.30, 12601 Ventura Blvd., Studio City, (818) 761-8300, carneytrain.com.

Chroni’s — Chroni’s, open since 1945, serves a super snappy hot dog for $3.20 (mustard and onions included). The spot opens daily at 9 a.m. and has a large, covered eating area in back. Hot Dog, $3.20, 5825 Whittier Blvd., Los Angeles, (323) 728-7806, ChronisFamousSandwichShop.com.

Cupid’s Hot Dogs — Cupid’s Hot Dogs has been open in the San Fernando Valley since 1946. Originally called Walsh’s Hot Dogs, the family still runs the business today. Keep it simple and order the “triangle dog” (mustard, onions, relish). There’s Mexican Coke too. Triangle Hot Dog $2.99, 9039 Lindley Ave., Northridge, (818) 885-8160, check website for other locations, cupidshotdogs.net.

Danger Dog — Bacon-wrapped hot dogs are the quintessential L.A. late night (hangover-preventing) street food. Whether you call them danger dogs, street dogs, bacon dogs or BWHDs (bacon-wrapped hot dogs), they can be found outside (or in the shadows of) clubs, concert halls and sporting events. Not into this type of adventurous eating? Why not make them at home? (Make the entire cart while you’re at it.) Near the Pantages Theatre in Hollywood (after a concert).

Earlez Grille — Brothers Cary and Duane Earle have been grilling hot dogs for almost 30 years. In 2014 they had to relocate to make way for the Crenshaw Metro Line you can find them currently grilling at a cart at 3864 Crenshaw Blvd. Does a hot dog taste better when you see, up close, the care put into each order? Claro que sim. A new space is scheduled to open sometime in April. (Catering available.) Beef Sabrett Dog, $3, 3864 Crenshaw Blvd., Los Angeles, (323) 299-2867, EarlesGrill.net.

Infield’s Dodger Dog — The Infield is a baseball-themed hot dog stand in Sherman Oaks. Order your dog and kick back in actual baseball stadium seats (both Dodgers and Angels represented). The Infield’s Dodger Dog, a Farmer John footlong, is $2 on Mondays, $3 otherwise. Gosta de doces? There’s a deep-fried Twinkies too. Infield’s Dodger Dog, $3 ($2 on Mondays,) 14333 Ventura Blvd., Sherman Oaks (818) 501-1850, infieldhotdogs.com.

Larry’s Chili Dog — Larry’s Chili Dog is a classic Burbank hangout with possibly the cutest hot dog sign we’ve come across (so far). Hoffy franks topped with chili are $4 with a generous topping of shredded cheese. Larry’s is known for fantastic breakfast burritos too. Chili Dog, $4, 3122 W Burbank Blvd., Burbank, (818) 842-0244 (no website).

Let’s Be Frank — Let’s Be Frank uses California grass-fed beef without nitrates or nitrites. It’s a gorgeous dog, especially when topped with Devil Sauce (a chutney-like combination of jalapeno, ginger and garlic). But this dog is great with just mustard too. Find the cart at the Helms Bakery Complex in Culver City, on Helms Avenue between Washington and Venice boularvds, Check website for hours of operation. You can also buy party packs for your own hot dog party. Frank Dog, $6, Helms Bakery Complex, Culver City, LetsBeFrankDogs.com.

Lucky Boy — Lucky Boy serves a crispy turkey corn dog that’ll make you feel like a kid again. Unless you’re in your 20s, wearily lined up at the counter for hangover relief. On the weekend, the place is packed (inside and out) with (mostly college-age) folks and a few actual kids. Corn Dog, $2.45, 640 S. Arroyo Parkway, Pasadena, (626) 793-0120, luckyboyburgers.com.

Marty’s Hamburger StandStudio execs and construction workers eat side by side at this fast-food stand, open since 1959. Marty’s serves a hearty Vienna beef dog with chili, cheese and onions. The onion rings are a must. Still hungry? Go for a combo burger, which includes a grilled, split hot dog. Chili Cheese Hot Dog, $4.75, 10558 W. Pico Blvd., Los Angeles, (310) 836-6944 (no website).

Motordogs — Visit Motordogs with a grandparent or just take the entire family. The former gas station is filled with nostalgia — and this place makes a great Chicago Dog. It comes with mustard, relish, onion, dill pickle, peppers and a great poppy seed bun. Chicago Dog, $3.50, 1265 E. Green St., Pasadena, (626) 486-2256, modoggs.com.

Oki’s Dog on Pico — Not to be confused with the Oki Dog on Fairfax. To quote Jonathan Gold: “The Fairfax Oki was never an official Oki — I think they may have been family friends at some point, but the family never had anything to do with it. I pick up a pastrami burrito at least once a year or so, and the counter guy still asks about my college girlfriend, whom he had a big crush on.” The classic Oki dog at Oki’s Pico comes with two hot dogs, pastrami, chili and cheese in a large tortilla. If you’re there with a large group of friends, you might as well order the legendary pastrami burrito too. Both are gut bombs in the best possible way. Oki’s Oki Dog, $4.50, 5056 W. Pico Blvd., Los Angeles, (323) 938-4369 (no website).


Chicago Red Hot Poppy Seed Buns

Like Chicago itself (and its famous Chicago-style dogs), the hot dog buns are substantial: no undersized, spongy supermarket buns for their tomato-, onion-, pickle-, and sport pepper-topped creations! In the Windy City you'll find a big, chewy poppy seed bun that has enough oomph to support the skyscraper constructions that Chicagoland natives depend on for a quick lunch. Here's our version.

Ingredientes

  • 3 xícaras (361g) de farinha multiuso King Arthur não branqueada
  • 3 tablespoons (21g) King Arthur Easy-Roll Dough Improver or Baker's Special Dry Milk, optional, but helpful for shaping buns
  • 4 tablespoons (57g) butter or 1/4 cup (50g) vegetable oil
  • 2 colheres de chá de fermento instantâneo
  • 2 tablespoons (25g) granulated sugar
  • 1 1/4 colher de chá (8g) de sal
  • 1 cup (227g) lukewarm water
  • 1 large egg yolk, white reserved for topping
  • 1 large egg white, reserved from the dough
  • 2 teaspoons cold water
  • 2 teaspoons poppy seeds

Instruções

Pese a farinha ou meça, colocando-a delicadamente em uma xícara e, em seguida, varrendo o excesso. Combine all of the dough ingredients, and mix and knead — by hand, mixer, or bread machine set on the dough cycle — until the dough is smooth and satiny.

Put the dough in a greased bowl, cover the bowl with plastic wrap, and let the dough rise in a warm, draft-free spot until it's doubled, about 90 minutes to 2 hours.

Divide the dough into 10 pieces if you have a scale, they'll weigh about 2 1/2 ounces (71g) each. Shape each piece into a rough 3" log, and let the logs rest, covered, for about 10 minutes.

Working with one piece of dough at a time, flatten it, and fold it in half lengthwise, sealing the seam. Repeat: flatten, fold, and seal. By this time the log will have elongated a bit flatten it one more time, making a 6" oval that's as even as you can get it.

Aperfeiçoe sua técnica

Chicago-Style Hot Dogs

Lay the bun on a lightly greased or parchment-lined baking sheet. Repeat with the remaining pieces of dough, laying the buns about 3/4" from one another, for soft-sided buns or farther apart for buns with crust all around.

Cover the buns lightly with greased plastic wrap, and let them rise until they're noticeably puffy but not doubled, about 1 hour.

Mix the reserved egg white with 2 teaspoons cold water, and brush the mixture over the top of the risen buns. Sprinkle heavily with poppy seeds.

Bake the buns for about 18 minutes, until they're golden brown. They may seem slightly "damp." That's OK they'll dry as they cool.

Remove the buns from the oven, and place them on a rack to cool.

Store the buns in a plastic bag for a few days on the counter, or store for up to 3 months.

Tips from our Bakers

The Midwest has a number of culinary traditions, and one of the biggest surprises is the simple hot dog. People in Chicago are very, very serious about hot dogs. The number of toppings and the specific sequence of layering on the dog of your choice are practically mind-boggling.

First of all, there is the Chicago Red Hot, "dragged through the garden." This means a Vienna Beef Frank, topped with (in order, please) yellow mustard sweet green pickle relish chopped onion chopped fresh tomato or tomato wedges a kosher dill pickle spear "sport" peppers (tiny pickled hot green peppers) and celery salt. This is the dog you'll find at Wrigley Field, home of the Cubs.

Other vendors stray off the trail somewhat, but in general a Chicago hot dog may have onions, sauerkraut, hot peppers, mustard, and the brightest neon green relish you've ever seen riding on top. Sometimes chili, sometimes cheese. Ketchup? Well, all right, if you really must people in Chicago are way too polite to scoff at you, but you will have branded yourself a non-native at the least.


THE ORIGINAL KING’S HAWAIIAN RESTAURANT

King's Hawaiian Bakery & Restaurant opened its doors on Sepulveda Boulevard in Torrance in 1988 and quickly became a landmark for Hawaiians living on the mainland. The irresistible Hawaiian food coupled with the warm "Aloha Spirit" that is the trademark of this family-owned business has made King's Hawaiian Restaurant a gathering place for families and friends throughout Southern California.

THE LOCAL PLACE BAKERY & CAFE

The Local Place Bakery offers a wide selection of our most popular bakery items from King's Hawaiian Bakery & Restaurant, including our famous Hawaiian Paradise Cake. Whether it's your favorite place to eat breakfast on your way to work or dinner on the way home, The Local Place Bakery & Café offers great-tasting Hawaiian food that's perfect for people on the go.


Assista o vídeo: 14 Chicago Hot Dogs in 12 Hours. Which is the Best? Bon Appétit


Comentários:

  1. Yoman

    Bela postagem! Eu desenhei muitas coisas novas e interessantes para mim! Vou dar um link para um amigo em ICQ

  2. Paytah

    Na minha opinião, você está errado. Tenho certeza. Vamos discutir isso. Mande-me um e-mail para PM, vamos conversar.

  3. Ammar

    Você está errado. Tenho certeza. Escreva-me em PM, discuta-o.

  4. Vern

    Onde posso encontrá-lo?

  5. Meramar

    Foi e comigo. Digite discutiremos esta pergunta. Aqui ou em PM.



Escreve uma mensagem